• Ícone do Facebook Preto
  • Ícone do Instagram Preto
  • Ícone do Youtube Preto

Parar de fumar com alegria fica mais fácil!



Decidir parar de fumar é uma importante decisão que deveria deixar o fumante muito feliz, muito animado, com autoestima em alta.


Mas não é isso que, na maior parte das vezes, acontece. Tudo bem que, quando a pessoa, consegue deixar o cigarro ela sente uma forte alegria, ela se sente muito realizada uma vez que a sensação de vitória, a sensação de livrar-se de um vício é realmente explosiva. Mas até chegar lá, até chegar à vitória, a caminhada assusta.


Fazendo uma analogia, vamos imaginar um viajante que tem o objetivo de chegar a um lugar maravilhoso, um lugar mágico, um lugar lindo, um lugar onde a vida floresce forte, um lugar onde todas as pessoas são felizes etc, etc, etc. Lugar bacana, não é?

No entanto, para chegar a este lugar é necessário um certo esforço. É necessário atravessar um deserto com muito pouca água, com sol escaldante durante o dia e frio de congelar a alma à noite. O viajante se sente muito, muito feliz por saber que em poucos dias estará neste lugar fantástico, mas treme de medo, até sente algum horror por imaginar todas as dificuldades que passará até chegar ao destino. Neste momento o viajante fica em dúvida, se questiona fortemente se valerá a pena todo o sacrifício da travessia ou não. Ele precisa decidir entre duas opções: a) decidir enfrentar as dificuldades do deserto e ser recompensado ao chegar no lugar desejado ou b) achar que não vale a pena o sacrifício e continuar onde está, sem conhecer e desfrutar do lugar mágico.



É assim que o fumante se sente quando decide parar de fumar. Todo o fumante sabe bem dos benefícios de parar de fumar, sabe da liberdade que desfrutará ao não se sentir mais preso ao cigarro, sabe dos benefícios para a saúde, etc, etc, etc, mas o caminho até esta conquista assusta, assusta muito mesmo e pode virar um horror na vida do fumante. Voltando à analogia com o viajante, ambos sabem que o lugar de chegada é o lugar da felicidade, da alegria, da saúde, enfim, é o lugar da vida. Mas ambos temem a caminhada, a travessia para se chegar até lá. Têm horror de enfrentar o que está por vir, desistem do objetivo e, o que é pior, desistem até de tentar fazer a travessia.


Agora vamos fazer um intervalo e deixar a história do viajante de lado por um tempinho. Ah, só mais uma coisa, qual será a escolha do viajante? cancelar a viagem ou enfrentar o deserto e chegar ao lugar mágico?


Agora eu gostaria de contar uma história verdadeira que aconteceu com uma amiga. Vou resumir bastante para não me alongar. Ela - acreditem ou não - superou 4 cânceres. E a cada vez que ela ia para o hospital para uma nova cirurgia, a cada luta que ela travava seu ânimo só aumentava. Isto era assombroso e muitos de nós, que estávamos a sua volta, nos surpreendíamos cada vez mais. Mais um câncer e ela continuava com bom humor, com alto astral como se ela estivesse ali para tirar uma unha encravada... Era incrível!

Um dia eu comentei isto com ela. Falei do assombros das pessoas à sua volta com seu estado de ânimo a despeito de todos os desafios que teria que enfrentar a cada vez que a doença se manifestava. Sabe o que ela me respondeu? " -Vera com alegria tudo fica mais fácil!" Ai ela explicou: eu quero muito vencer, quero muito me curar, então, tenho que enfrentar todos os desafios que a vida vem trazendo para mim. E eu tenho duas opções para fazer isso, com alegria ou tristeza. E escolhi enfrentar minha batalha com alegria, afinal de contas, se eu tenho a chance de me curar isso já é motivo para eu ficar feliz. Claro que, em alguns momentos, dou uma fraquejada e deixo o medo e o desanimo se aproximarem mas, de verdade, não deixo que eles tomem conta de mim, mando eles embora rapidinho. A alegria, Vera, faz milagres, enfraquece o medo e o desânimo, fortalece nossa fé e a coragem e, de verdade, faz com que as dificuldades passem mais rápido e de forma mais "leve". E ela me falava tudo isso (não sei se com essas palavras, mas o sentido era esse) com brilho nos olhos e serenidade na alma. Nesse momento eu tive certeza que ela se curaria e a alegria de viver que a acompanhava tão fortemente era sua melhor melhor companhia. E, de fato, ela se curou de 4 cânceres, um a um. Viva a alegria!


Bem, voltando aos fumantes e a analogia com o viajante, honestamente, tomar a decisão de parar de fumar é motivo para alegria ou tristeza? Claro que é motivo de alegria, certo? E enfrentar o deserto para chegar ao lugar mágico? Para que o viajante tenha sucesso o ideal que ele enfrente as dificuldades com a alegria de quem sabe que será vitorioso e chegará ao lugar mágico, apesar dos obstáculos; o ideal é que enfrente as dificuldades do deserto com alegria para que o medo e o desânimo não minem suas forças e determinação.


O mesmo se dá com os fumantes. Muitos querem parar de fumar mas o medo da abstinência, o medo de ficar sem "seu amigo e companheiro de todas as horas" (argumento falso, claro) os impedem até mesmo de tentar. Será que se enfrentarem a travessia com alegria, os sintomas da abstinência não se tornariam menos penosos? Será que, com alegria, o medo de ficar sem o cigarro, não ficaria bem fraco quem sabe até sumiria?


Será que a recompensa da chegada não vale o esforço da caminhada? Sabe o viajante? Ele optou por enfrentar o deserto e saiu vitorioso uma vez que chegou a um lugar de liberdade onde a vida pulsa forte. Como eu sei disso? É que o viajante sou eu. Decidi parar de fumar e fiz isto com alegria. Projetei como seria minha vida sem o cigarro e isso me deu força para enfrentar todas as dificuldades que viriam pela frente. Venci todas, uma a uma, com a alegria me ajudando.


Até o próximo post! Beijos



8 visualizações

Caminhos Possíveis - Comércio e Serviços Ltda ME

CNPJ:04.534.283/0001-02